Foto: Reprodução (arquivo)

Mais um dia de depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mais um dia de mobilização dos apoiadores do petista nas proximidades da Justiça Federal. Essa é a expectativa para a quarta-feira (14), quando manifestantes prometem estar no Ahú às 14h, mesmo horário em que ocorre a audiência do processo do sítio de Atibaia. Haverá, entretanto dois pontos de concentração da militância: a partir das 10h na Vigília Lula Livre, diante da Superintendência da Polícia Federal, onde o ex-presidente está preso desde abril e a partir do meio-dia na própria sede da Justiça, para onde Lula deve ser levado de carro para prestar esclarecimentos durante a audiência.

Lideranças partidárias, movimentos sociais e frentes populares organizam a mobilização para acompanhar o depoimento à juíza Gabriela Hardt, que substitui Sergio Moro após ele deixar a magistratura para se tornar ministro de Jair Bolsonaro em 2019.

Em depoimentos anteriores do ex-presidente, houve amplo esquema de segurança na região do Ahú, em maio e setembro de 2017, quando centenas de PMs fizeram o congelamento de diversas ruas do bairro, mas desta vez a situação será diferente, com atuação pontual da polícia. Em nota, a PM informou que os acessos ao prédio da Justiça Federal e imediações serão fiscalizados, porém a interdição de trânsito deve ser realizada apenas durante os procedimentos de escolta e enquanto durar o depoimento, com trânsito fechado apenas na avenida Anita Garibaldi e na praça diante da sede da Justiça Federal.

A informação é de que a medida é preventiva para garantir que os procedimentos da Justiça e da Polícia Federal sejam cumpridos com segurança e para evitar impactos aos moradores e comerciantes locais.

Os serviços na Justiça Federal ocorrerão normalmente durante o dia todo (com exceção do restaurante) e o cidadão terá acesso garantido com o acompanhamento de policiais militares até o local de atendimento. Para isso, será necessário apresentar um documento de identidade para adentrar o perímetro.

Ainda conforme a PM, a escolta do ex-presidente será feita pelas equipes da Polícia Federal e por batedores do BPTran. Durante a chegada do comboio de Lula para o depoimento, as equipes policiais e agentes da Setran farão o desvio do tráfego de veículos nos seguintes cruzamentos: Avenida Anita Garibaldi com rua Dr. Manoel Pedro (Praça Cel. Elísio Costa Marques); Rua Dr. Bezzera de Menezes com a Avenida Anita Garibaldi; Rua Benjamin Zili com Rua Santa Rita de Cássia; Rua São Pio X com Rua Benjamim Zili e Rua Eça de Queiroz com Avenida Anita Garibaldi.

Segundo a Polícia Militar, o trabalho contará com o reforço de patrulhamento em toda a cidade, principalmente nas imediações do prédio da Justiça, com presença da PM desde o início da manhã de maneira gradativa.

A preparação da operação conta com o emprego dos seis batalhões da cidade, mais o apoio do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), que darão suporte à ação. De maneira integrada atuarão ainda o Corpo de Bombeiros, a Polícia Federal, a Prefeitura de Curitiba, a Polícia Civil e outros órgãos.

Repórter Cristina Seciuk