Foto: Sindimoc

A investigação será conduzida pelo delegado Reinaldo Neto, da delegacia do Alto Maracanã. Alguns passageiros do ônibus prestaram depoimento ainda pela manhã.

Até o fechamento desta reportagem, a Polícia ainda não tinha a identificação dos suspeitos. Na noite de sábado, durante arrastão de ônibus na linha N74 – Curitiba / Jd. Paulista, em Colombo, o motorista Edmilton José de Melo, de 45 anos, foi assassinado.

Quatro assaltantes, três homens e uma mulher, invadiram o veículo por volta das 21:30. Eles roubaram dinheiro e objetos pessoais dos passageiros.

Segundo testemunhas, o motorista não reagiu, mas teria pedido que os assaltantes descessem do ônibus após o crime. Foi quando um dos assaltantes disparou uma arma. Edimilton levou um tiro no peito e morreu ainda no local.

Os criminosos fugiram pela vila Zumbi, segundo relatos das vítimas assaltadas. Por causa do homicídio o Sindicato que representa motoristas e cobradores organizou uma manifestação pedindo instalação de câmeras de segurança no interior de todos os ônibus que operam em Curitiba e RM.

Em novembro de 2015, o Sindimoc já tinha realizado um ato pedindo mais segurança, paralisando o transporte coletivo por uma hora em Curitiba.

Em nota, o Setransp (sindicato que representa as empresas de ônibus), informou que lamenta a morte do colaborador da Viação Castelo Branco e que irá acompanhar as investigações.

O Setransp informa ainda que diante desta ocorrência voltará a pedir a ação dos órgãos competentes para garantir mais segurança no transporte coletivo.

Em nota enviada pela Assessoria de Imprensa, a Prefeitura diz que a Urbs já conta com mais de 500 câmeras nas estações tubo e terminais de ônibus. Além disso, nessa gestão foi criada a Patrulha do Transporte.

No entanto a prefeitura diz que novos investimentos dependem de recursos que não estão previstos no valor atual da tarifa, e que a morte do motorista de 45 anos no sábado ocorreu em Colombo e não na capital paranaense.

Repórter Fábio Buchmann

Deixe uma mensagem