Foto: Divulgação/Polícia Civil
Terrazza Panorâmico

Dois homens foram presos pela Polícia Civil suspeitos de crime ambiental. Um deles mantinha uma carvoaria ilegal no município de Rio Branco do Sul, na região metropolitana de Curitiba. O homem de 46 anos também estava fazendo a retirada de madeira sem a devida licença ambiental.

Já o outro suspeito, um comerciante de 41 anos, foi preso por comercializar o carvão ilegal.

No local onde a abordagem foi feita, eram mantidos quatro fornos para a produção de carvão. Havia centenas de troncos de bracatingas e eucaliptos, totalizando 15 metros cúbicos de madeira. Ainda no local, foram encontrados sacos com carvão, prontos para serem comercializados.

O delegado Mateus Laiola, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, explica como a Polícia Civil ficou sabendo da situação e como as investigações foram feitas.

O responsável pela carvoaria informou que obteve uma licença, mas que o documento teria vencido em 2015.

O comerciante preferiu permanecer em silêncio e se pronunciar apenas em juízo.

O delegado ainda alerta que para explorar a vegetação e comercializar os derivados, é preciso ter autorização dos órgãos ambientais.

O dono da carvoaria vai responder pelo crime ambiental de “cortar e transformar em carvão madeira sem licença ambiental”.

Já o comerciante vai responder por crime ambiental de “vender produtos de origem vegetal sem a devida licença dos órgãos de fiscalização e controle”.

Os dois foram liberados após prestarem depoimento e assinar termo circunstanciado.

Repórter William Bittar