Foto: Colaboração/ouvinte

O incêndio registrado na semana passada em um casarão na esquina das avenidas Iguaçu e Marechal Floriano Peixoto, no bairro Rebouças, continua com desdobramentos. Durante o trabalho de rescaldo, o corpo de um homem foi encontrado nos escombros do imóvel, onde funcionava um pensionato. E, no último sábado, a polícia foi acionada após catadores de material reciclável localizarem outra vítima. O corpo é de uma mulher, que estava com as mãos e os pés amarrados.

De acordo com informações da Polícia Civil, as duas vítimas ainda não foram oficialmente identificadas, mas trata-se do casal que era proprietário do imóvel. A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa investiga as circunstâncias do incêndio, depois de relatos de testemunhas de que o dono do casarão havia ameaçado retirar os seus pertences e destruir o local dias antes do incêndio. Além disto, foram encontrados nos escombros vasilhames com combustível, apontando para um incêndio criminoso.

O caso já está sendo acompanhado pelo Ministério Público do Paraná, mas não em função do próprio incêndio, pois o inquérito não foi concluído e os corpos ainda dependem de identificação. Mas o MP foi acionado pelo Conselho Tutelar da Regional Matriz. Isto porque as filhas do casal foram enviadas pelo pai de táxi até a casa de uma amiga da mãe das crianças, momentos antes do incêndio.

Segundo informações repassadas por representantes do Conselho Tutelar, as meninas, de seis e nove anos, estavam muito assustadas. A mulher que recebeu as crianças chamou a polícia e o Conselho Tutelar, que por sua vez acionou o Ministério Público.

Por meio de assessoria de imprensa, o MP confirmou que acompanha o caso e atua para garantir medidas protetivas para as filhas do casal. Todo o processo tramita em segredo de Justiça por envolver crianças.

Repórter Joyce Carvalho

Deixe seu comentário