Foto: Divulgação

Cerca de 200 pessoas protestaram durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Quatro Barras, na região metropolitana de Curitiba. O legislativo da cidade tem sessões apenas às segundas-feiras, às 18 horas. O motivo do protesto foi a indignação com relação ao aumento das diárias dos vereadores de R$ 362,58 para R$ 647,46.

De acordo com o funcionário público João Carlos Babisz, um dos organizadores do protesto, a sessão chegou a ser interrompida.

Os manifestantes prometiam entregar um abaixo-assinado que pede a revogação da lei, de autoria do executivo, que dobrou os valores das diárias dos nove vereadores da cidade. O projeto foi aprovado na sessão do dia 4 de setembro por cinco votos a quatro.

Segundo João Carlos, o documento não foi entregue ainda.

Quando forem coletadas as assinaturas necessárias, o documento deve ser encaminhado também ao Ministério Público (MP).

Além disso, a população vai pedir aos vereadores que comprovem onde gastaram o dinheiro das diárias. Segundo a câmara, os valores são destinados a realização de cursos. De acordo com João Carlos, os parlamentares não precisariam viajar tão longe para se capacitar, já que há cursos na área em Curitiba e região. Além disso, o funcionário público diz que causa estranheza o fato de as aulas serem realizadas geralmente em cidades turísticas.

Em nota a Câmara de Vereadores de Quatro Barras disse que o aumento das diárias não chega a 110%, como algumas pessoas têm afirmado. Na verdade, quando houver o deslocamento para localidades que tenham distância superior a 100 quilômetros, com exceção de Brasília (DF), o aumento passou de 0,7% da Unidade de Referência do Município de Quatro Barras para 1,25%, variação de 55%.

A Câmara esclarece ainda que estes valores são pagos para cobrir todas as despesas com alimentação, hospedagem, transporte terrestre, entre outros, não havendo nenhum outro tipo de ressarcimento por parte do Órgão.

Repórter Lucian Pichetti

Deixe uma mensagem