Foto: Brunno Covello/SMCS
Terrazza Panorâmico

De janeiro até julho, mais de 28 mil autuações foram registradas em Curitiba, segundo um levantamento da Secretaria Municipal da Defesa Social e Trânsito. Os dados representam, em média, 138 multas de trânsito por dia.

De fevereiro a julho do ano passado, foram 24.379 multas. Em todo o ano de 2018, foram aplicadas 57.400 multas.

A principal infração flagrada pelos guardas municipais nos primeiros sete meses deste ano foi a de estacionar no passeio. O diretor de Fiscalização da Superintendência de Trânsito, Wagnelson de Oliveira, lembra que essa irregularidade atrapalha o deslocamento dos pedestres.

Recentemente, uma ação da Superintendência de Trânsito autuou 52 veículos de revendedoras que estacionados no passeio, no bairro Novo Mundo. Dois deles ainda foram removidos, pois também estavam com o licenciamento atrasado.

Em segundo lugar nas principais infrações aplicadas pelos guardas aparece a prática de estacionar em local ou horário proibido especificamente pela sinalização.

Oliveira ressalta que esse tipo de estacionamento irregular contribui para aumentar congestionamentos de trânsito.

A falta do uso de cinto de segurança pelo motorista ou pelo passageiro do veículo foi a terceira infração mais encontrada pelos guardas municipais e a quarta foi a de condutores multados por dirigir o veículo enquanto falavam ou manuseavam o telefone celular.

O diretor de fiscalização frisa que essa prática não coloca em risco apenas a vida do motorista.

A frota de veículos de Curitiba é de pouco mais de 1,4 milhão, segundo os dados mais recentes disponibilizados pelo Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR). Com isso, o número de motoristas multados pela Guarda Municipal não chega a 0,3% do total, sem levar em conta a frota da Região Metropolitana, que também trafega pela cidade.

Atualmente, 351 guardas municipais têm atribuição de aplicar autos de infração de trânsito, em meio às atividades cotidianas de patrulhamento preventivo e operações que desempenham, no centro da cidade e também nos bairros.

Repórter William Bittar