Por revogação de edital PSS, professores passam a noite na Alep

Por revogação de edital PSS, professores passam a noite na Alep

Educadores contratados pelo estado através do regime PSS, ocuparam o prédio administrativo da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nesta quarta-feira (18), como forma de protesto contra o edital 47, aberto pelo governo para contratação de novos professores para o ano letivo de 2021.

A manifestação dos professores ocorre no mesmo dia em que lideranças indígenas contrárias ao edital, desocuparam o prédio da Secretaria de Estado da Educação.

Representantes da App Sindicato presentes na ocupação do prédio, destacaram que uma das reivindicações é a de que o governo, assim como fez com a prova para professores indígenas, retire a aplicação da prova presencial para os cargos do PSS. O sindicato pediu a instalação de uma comissão de deputados, para negociação com a Casa Civil, e retirada da obrigatoriedade da prova.

O líder do Governo e Presidente da Comissão de Educação, deputado Hussein Bakri (PSD) repudiou a invasão do prédio da Assembleia Legislativa por representantes da APP-Sindicato. O parlamentar havia participado de reunião junto à Casa Civil e à Secretaria da Educação em busca de uma solução a respeito do edital de contratação de 4 mil professores e pedagogos via processo seletivo simplificado (PSS) para 2021.

No início da noite desta quarta-feira, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte emitiu nota em que destaca que sempre esteve aberta ao diálogo com os representantes dos professores.

Ressalta ainda a nota que, o Processo Seletivo Simplificado foi pauta em várias reuniões entre representantes da Secretaria e dos professores ao longo do ano de 2020. E que somente nos últimos três meses foram nove encontros oficiais e o PSS foi debatido em todos eles.

Na noite desta quarta-feira, os professores permaneciam no interior do prédio administrativo da Alep, onde devem passar a noite.

Repórter Vanessa Fernandes