Foto: AEN
Terrazza Panorâmico

Entre os meses de janeiro e outubro deste ano, a movimentação de fertilizantes pelo Porto de Antonina, no litoral paranaense, aumentou em 49%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Foram importadas 422.569 toneladas em 2019, contra 283.614 toneladas em 2018.

Cerca de 80% da demanda brasileira é suprida pelas importações do produto. O Paraná é referência nesta atividade portuária. E, segundo o Diretor Presidente do Terminal Portuário da Ponta do Félix, a expectativa é de que a movimentação cresça ainda mais.

Entre os motivos deste otimismo estão os investimentos na ampliação da atual estrutura e nas obras de dragagem, que vão facilitar a movimentação dos navios na baía de Antonina.

Outro fator que influencia diretamente no crescimento da movimentação é a dragagem do canal de acesso e da bacia de evolução do porto, que acontece desde o mês de agosto. Até agora, foram retirados desta área aproximadamente um milhão de metros cúbicos.

Com isto, a previsão é que seja restabelecida a profundidade de 9,5 metros, o que permitirá manobras de navios maiores e mais carregados. E a expectativa é dobrar o volume de movimentação no terminal antoninense.

Entre os principais produtos operados em Antonina estão os fertilizantes, que se destacam mês a mês; o farelo de soja, carro chefe do terminal privado; e o açúcar ensacado. No acumulado deste ano, todos estes produtos apresentaram crescimento de movimentação. Alta de 49% nos fertilizantes, de 10,5% no farelo de soja e de 7% no açúcar ensacado.

Repórter Marcelo Ricetti