Foto: AEN
Terrazza Panorâmico

Dentro dos programas ambientais executados pela empresa Portos do Paraná nas baías de Paranaguá e Antonina, foi realizado nesta quarta-feira o monitoramento de avifauna, que é o grupo de aves do local.

O levantamento específico é executado mensalmente, desde 2016 em diversos pontos da região.

Segundo Juliana Lopes Vendrami, bióloga da Portos do Paraná, o monitoramento é uma exigência do licenciamento ambiental que permite a operação dos portos paranaenses.

Somente no trecho percorrido entre Pontal do Sul, passando por Ilha do Mel, Ilha da Cotinga, porto e Antonina, foram avistadas cerca de mil aves, de 23 espécies.

Até agora, considerando todos os monitoramentos executados, cerca de 147 espécies de aves foram identificadas no Litoral do Paraná. No monitoramento terrestre, as duas mais avistadas são a garça-azul e o urubu.

Os animais encontrados em maior quantidade são o biguá e o trinta-réis-de-bando. Em relação ao status de ameaça às espécies em âmbito internacional, nacional e estadual, boa parte dos animais vistos estão em situação pouco preocupante.

No status de “quase ameaçada”, estão a gralha-azul e o sanhaço-de-encontro-azul. Como “vulnerável”, está o albatroz-de-sobrancelha e o trinta-réis-de-bico-vermelho. Nos mais preocupantes, indicados como “em perigo”, estão o papagaio-de-cara-roxa, o savacu-de-coroa e o trinta-réis-real. Por fim, como “criticamente em perigo”, está o guará.

Da redação com informações da Assessoria