Foto: Francielly Azevedo
Terrazza Panorâmico

A pedido da associação dos Municípios do Paraná, a governadora Cida Borghetti recebeu prefeitos na tarde destas terça-feira no Palácio Iguaçu.

O objetivo foi relatar a situação das cidades paranaenses em função do desabastecimento provocado pela greve dos caminhoneiros. O presidente da Associação, que também é prefeito da cidade de Coronel Vivida, Frank Ariel Schiavini, reforçou a preocupação dos municípios com os impactos da greve.

Ele reconheceu os esforços dos governos estadual e federal na tentativa de buscar uma solução para o impasse. Mas segundo o presidente, o movimento ainda está longe de uma desmobilização

Schiavini disse ainda que quem vai pagar a conta da greve serão os municípios, que vão acumular os maiores prejuízos

Há alguns dias o Governo estadual criou um grupo de trabalho de enfrentamento à crise. Ele é composto por entidades do Governo do Estado, representantes do empresariado e gerenciado pelo chefe da Casa Militar, coronel Maurício Tortato. Algumas prefeituras estavam sem saber o que fazer, e segundo o Coronel, diversas orientações foram repassadas

Maurício Tortato disse que agora a principal preocupação é com a cadeia produtiva, ou seja, a circulação de alimentos pelo Paraná

O coronel disse ainda que está faltando bom senso para que a greve seja encerrada.

Participaram da reunião com a governadora 14 prefeitos de cidades paranaenses. Segundo a Defesa Civil, nenhum município do PR decretou estado de emergência por enquanto.

Desde a sexta-feira (25) mais de dois mil veículos foram autorizados a trafegar no Estado. Para facilitar a identificação deles, a entidade distribuiu adesivos com a logo da Defesa Civil.

Outra medida foi o anúncio da diminuição e o congelamento da base de cálculo do ICMS que incide sobre o óleo diesel. Com a mudança, a partir de 01 de junho, a base para calcular o imposto será de dois reais e 95 centavos, valendo por 90 dias.

A redução é de 25 centavos sobre a base atual e deve representar uma queda de aproximadamente quatro centavos sobre o preço do combustível na bomba.

Repórter Fábio Buchmann

Petroleiros cruzam os braços por 72 horas

Deixe uma mensagem