ceu-casa-do-estudante-universitario
Foto: Orlando Kissner/SMCS
Terrazza Panorâmico

A Casa do Estudante Universitário, considerada a maior casa de estudante autogerida da América Latina pela União Nacional dos Estudantes (UNE) notificou a Prefeitura de Curitiba, nesta segunda-feira (4), cobrando a devolução de R$ 1,5 milhão, que deveria ser utilizado na reforma e restauro da instituição, em 2007.

Depois de 12 anos, a direção da CEU notificou a administração municipal alegando o rompimento do convênio entre as partes.

De acordo com o documento, “o custeio do restauro iniciado em 2007 foi resultante da venda do potencial construtivo do imóvel pertencente a CEU” e, no total, “foram arrecadados mais de 8 milhões de reais”, dinheiro que pertenceria à Fundação Casa do Estudante Universitário.

Obras

O advogado da CEU, Ramon Bentivenha, explica que a notificação visa recuperar o valor que não foi utilizado já que as obras não foram concluídas conforme o acordo firmado em 2007.

A vice-presidente do CEU, Claudia Santos, afirma que 250 estudantes moram no imóvel, que em condições normais, poderia abrigar 400.

Cláudia ressalta que os problemas com infiltrações, danos estruturais e a finalização do plano de incêndio fazem com que os alunos que moram na CEU estejam em risco.

Ramon Bentivenha ainda reforça que, caso nenhuma resposta seja dada à Casa do Estudante no prazo de uma semana, a partir da notificação desta segunda-feira, o próximo passo será recorrer ao Poder Judiciário.

Em nota, a Prefeitura de Curitiba confirmou que a obra não foi concluída e que “A Casa do Estudante Universitário (CEU) foi declarada Unidade de Interesse Especial de Preservação, o que permitiu a transferência de fundos provenientes da venda de cotas de patrimônio para o restauro do edifício”.

A nota diz ainda que “o recurso ficou em uma conta específica, como determina o procedimento relativo a transferências para este fim” e que “o desembolso para pagamento da obra, durante a execução, foi gerido pela Secretaria Municipal de Obras Públicas, a partir de convênio firmado entre o município e a CEU”.

Repórter William Bittar