Foto: Reprodução / Street View

Três réus da ação penal do triplex no Guarujá vão ser interrogados nesta quinta-feira pelo juiz Sérgio Moro: são dois ex-diretores da OAS, Agenor Medeiros e Paulo Ferreira, além do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto. As audiências serão presenciais, na sede da Justiça Federal do Paraná.

O processo apura se o ex-presidente Lula recebeu propina através da reforma do triplex no Guarujá. A obra, incluindo decoração e compra de móveis e eletrodomésticos, teria sido paga pela OAS com dinheiro desviado da Petrobras, num total de dois milhões e quatrocentos mil reais. Lula também é réu e será interrogado no próximo dia 10. Nesta quarta-feira, a defesa informou ao juiz Sérgio Moro que pretende gravar em áudio e vídeo o depoimento do ex-presidente.

A própria Justiça Federal grava todas as audiências e disponibiliza as imagens no processo eletrônico. Mas a defesa de Lula também quer fazer sua própria gravação. Além disso, os advogados pediram para que a câmera da Justiça não fique posicionada o tempo inteiro na direção de Lula, como acontece com outros réus da Lava Jato.

A defesa quer que a câmera seja direcionada para quem estiver falando, seja juiz, procurador ou advogado, isto é, com a captação de imagem de todos os participantes da audiência e não apenas do réu, no caso, o ex-presidente Lula. O juiz Sérgio Moro ainda não se manifestou sobre o caso.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe uma mensagem