Foto: Reprodução/ João Paulo (APP-Sindicato)

Professores e funcionários da rede estadual de ensino vão entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir do dia 25 de junho. A decisão foi tomada após assembleia estadual extraordinária da APP-Sindicato, realizada neste final de semana em Curitiba.

Segundo a APP, “a medida é consequência da falta de resposta do governador Ratinho Junior (PSD) para as reivindicações da categoria, principalmente o pagamento da reposição salarial do funcionalismo”.

Com a decisão, os professores vão se juntar a outras categorias do serviço público estadual na greve unificada convocada pelo Fórum das Entidades Sindicais (FES).

Segundo o FES, a data-base venceu no dia 1º de maio e os servidores da educação, saúde, segurança e outras categorias do serviço público estadual estão sem correção desde 2016. De acordo com o Fórum, a defasagem passa de 17%.

Em nota, o Governo do Paraná informou que “tem mantido diálogo permanente e respeitoso com os representantes sindicais e espera que a greve não seja efetivada, pois trata-se de uma iniciativa que vai prejudicar o atendimento à população”.

A nota diz ainda que “a comissão permanente criada pelo Estado para debater as demandas do funcionalismo já se reuniu por diversas vezes com representantes dos servidores” e que “a disposição do governo é manter este canal de negociações aberto para que se encontrem soluções conjuntas relativas a data-base e outros temas”. Por fim, o Governo do Estado reforça que “se mantém alerta ao controle de recursos públicos em razão da queda de arrecadação. Trata-se de um fato amplamente divulgado e que impede, neste momento, qualquer comprometimento com o aumento de despesas”.

Repórter William Bittar