Foto: ApufPR
Foto: ApufPR
Foto: ApufPR

O indicativo de greve foi aprovado em assembleia da categoria e prevê a paralisação a partir do dia 15 de março. Uma nova reunião está prevista para o dia 9 quando deve ser deflagrada a greve.

No dia 15 de março também está marcada a paralisação nacional d os profissionais da educação contra a Reforma da Previdência do Governo Federal.

A diretora do Sismmac, o Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba, Viviane Bastos, afirma que, na rede municipal de ensino, o pagamento do plano de carreira é a principal reivindicação.

Em Curitiba, cerca de 10 mil professores integram a rede municipal de ensino. A paralisação também reivindica outras melhorias para a categoria como o reajuste salarial e a contratação de novos professores.

Segundo o Sismmac, se as negociações com a prefeitura avançarem, a greve pode ser suspensa. Em nota, a Secretaria Municipal de Educação informou que conversou com representantes da categoria na última sexta (17), ouviu as reivindicações e mantém o diálogo com os professores.

Nesta quarta (21), os professores municipais acompanham a sessão da Câmara Municipal de Curitiba onde o secretário de planejamento, finanças e orçamento, Vitor Puppi, presta contas aos vereadores. Outras categorias de servidores municipais devem participar da mobilização. O ato protesta contra cortes no orçamento e pressiona o município a negociar as reivindicações dos trabalhadores.

 

Repórter Ana Krüger

Deixe uma mensagem