Foto: ASCOM
Terrazza Panorâmico

O projeto alternativo para as regiões de Pontal do Paraná e Ilha do Mel foi apresentado ao Governo do Paraná nesta sexta-feira (23). A iniciativa propõe a substituição da chamada Faixa de Infraestrutura, que prevê a construção de um complexo industrial portuário na região.

A obra gera intensas discussões em função da necessidade da derrubada de uma extensa área preservada de Mata Atlântica e porque deve favorecer um porto privado.

O projeto alternativo ganhou o nome de Ciclo-Rodovia Interpraias e pretende interligar municípios, balneários e ilhas por meio de 50 quilômetros de ciclovias.

De acordo com o gerente de parcerias estratégicas do Observatório de Justiça e Conservação, André Dias, o turismo deve ser fomentado.  

A solução alternativa pretende melhorar a PR-412 com a duplicação da rodovia, ou a criação de uma espécie de binário, utilizando a beira-mar das praias. A ideia é desafogar o trânsito na rodovia que fica congestionada durante a temporada.

A proposta foi viabilizada por meio de um financiamento coletivo batizado de “O litoral do Paraná pede socorro”. A campanha foi lançada no portal Benfeitoria pela campanha #SalveAIhaDoMel. Os engenheiros e arquitetos que desenvolveram a solução foram pagos pelos recursos dessa vaquinha online, que arrecadou, em 60 dias, pouco mais de R$ 37 mil.

O projeto da “Faixa de Infraestrutura” começou a ser discutido na administração Beto Richa. Ele prevê a construção de 20 quilômetros de rodovia até a região onde será construído o porto particular e tem investimento calculado em R$ 270 milhões.

O objetivo do grupo que desenvolveu a proposta alternativa é convencer o governo do Paraná que não vale a pena investir na obra.

Os aspectos socioambientais da “Faixa de Infraestrutura” estão sendo estudados pelo Governo do Paraná.

Repórter Francielly Azevedo