Projeto ajuda a identificar problemas oculares em crianças

Projeto ajuda a identificar problemas oculares em crianças
Foto: Num Piscar de Olhos

Crianças e adultos aumentaram o tempo na frente de computadores, celulares e televisão durante a pandemia. O isolamento social, com trabalho em home office e as aulas online, exige a mudança de rotina. O problema é que isso tem prejudicado a saúde dos olhos, segundo especialistas.


De acordo com o IBGE, mais de 35 milhões de brasileiros sofrem com algum tipo de alteração de visão. Além disso, números apontam que 50% da população mundial terá de usar óculos até 2050 possivelmente por excesso de tecnologia e estilo de vida.

Mayara Wedicny de França é mãe do Arthur, de oito anos, e do Davi, de quatro anos, ambos já usam óculos.

A preocupação surgiu porque o Arthur passou a reclamar mais de dores de cabeça e dificuldades para enxergar.

O diretor clínico do Hospital de Olhos do Paraná, Dr. Carlos Augusto Moreira Junior, explica que muitas vezes o baixo rendimento escolar na educação infantil e fundamental está ligado à falta de visão.

Os desvios oculares acontecem em algumas crianças e muitas vezes não são percebidos pelos pais. Por isso, aqui em Curitiba, o projeto “Num Piscar de Olhos”, em parceria com o Hospital de Olhos do Paraná, está fazendo a identificação de problemas na visão das crianças. Com a ajuda da tecnologia, é possível fazer um diagnóstico completo em poucos minutos, inclusive em bebês.

Quem quiser mais detalhes sobre o projeto pode buscar o site numpiscardeolhos.com.br.

Repórter Francielly Azevedo