O projeto piloto da Sanepar para dessalinização da água do mar e da água salobra para consumo começou em 2015. Os estudos tecnológicos são desenvolvidos em parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), a Universidade College de Londres, na Inglaterra, e a Universidade do Norte do Texas, nos Estados Unidos.

Foi instalado um sistema piloto de uso de membranas em sistemas de tratamento em um container, próximo a estação de tratamento de água em Praia de Leste, no litoral do Paraná. O que foi constatado até agora é que a remoção de sais e metais pode ser superior a 99% dependendo das características da água na entrada do processo.

O gerente da área de pesquisa da Sanepar, Gustavo Possetti, explica que a água salobra é a que teve mais resultados positivos.

Possetti também explicou que embora satisfatório, o custo para dessalinização da água é bastante elevado, por isso, alternativas biosustentáveis foram pensadas para minimizar os custos.

A água dessalinizada pode ser utilizada, inclusive, para o consumo humano. A prática já é adotada em outros países.

Embora o país e, principalmente, o Paraná sejam ricos em recursos hídricos que possibilitam o consumo de água doce, Possetti destaca que a pesquisa serve para que o estado esteja preparado para o futuro, por ele considerado distante.

Mesmo com a riqueza hídrica do estado, Possetti reforça a importância do uso racional de água.

A fase experimental do projeto de dessalinização da água do mar foi concluída no segundo semestre de 2018. Os pesquisadores agora estão consolidando os resultados obtidos, que devem ser divulgados com mais detalhes ao longo de 2019.

Repórter Francielly Azevedo