Foto: Levy Ferreira/SMCS

O Programa Rosto da Cidade está prestes a sair do papel. Nesta quarta-feira (27), a Câmara Municipal de Curitiba reuniu as comissões de Educação, Cultura e Turismo, de Urbanismo, Obras Públicas e Tecnologias da Informação e de Meio Ambiente,  Desenvolvimento Sustentável e Assuntos Metropolitanos para aprovarem a proposta enviada pela Prefeitura de Curitiba.

Com isso, o Rosto da Cidade está pronto para ser votado em Plenário. O projeto prevê a revitalização de diversos imóveis – públicos e privados – do setor histórico de Curitiba. A ideia é que a iniciativa privada e a população se mobilizem, junto com a administração municipal, para enfrentar a poluição visual e degradação paisagística da região.

Segundo a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Oliveira Dias, a prefeitura já começou a fazer o levantamento dos imóveis públicos.

Estão previstas quatro etapas com a recuperação de uma área aproximada de 230 mil metros quadrados. O investimento estimado é de R$ 4,8 milhões na recuperação que envolve o custo do material, execução da pintura e reparos nas edificações. Verniz anti-pichação deve ser aplicado nos imóveis recuperados.

Para a secretária, o projeto também deve ajudar no desenvolvimento econômico de Curitiba.

A área foco do projeto integra um polígono de quadras compreendido entre as ruas XV de Novembro, Mariano Torres, Conselheiro Araújo, Luiz Leão, João Gualberto, Inácio Lustosa, Benvindo Valente, Paulo Graeser Sobrinho, Emílio de Menezes, Visconde de Nácar e as vias transversais. Túmulos do Cemitério Municipal São Francisco de Paula também serão revitalizados.

Conforme Marilza, nos cinco eixos de atuação, 14 imóveis públicos já estão em processo de revitalização.

Para os prédios e casas privados, o projeto prevê uma parceria do poder público municipal com os donos dos imóveis e a iniciativa privada, com parcerias para o fornecimento de tintas. Os proprietários de imóveis na região contemplada podem fazer a inscrição junto à Prefeitura. Os cadastros serão analisados.

Também fazem parte das ações previstas a execução de planos de iluminação pública, segurança, mobilidade e acessibilidade.

Repórter Francielly Azevedo