Foto: Sandro Nascimento/Alep

Voltam hoje (9) à pauta de votações da Assembleia Legislativa do Paraná os cinco projetos que determinam reajuste de 2,76% aos servidores da Assembleia Legislativa, do Tribunal de Justiça, do Tribunal de Contas, do Ministério Público e da Defensoria Pública. No dia 4, a falta de quórum na sessão plenária adiou a votação.

Os deputados da base do governo esvaziaram o plenário justamente para evitar a aprovação do requerimento de pedido de urgência. Para votação, são necessários, pelo menos, 28 deputados. Apenas 19 dos 54 parlamentares estavam presentes.

Dessa maneira, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício financeiro de 2019, que também estava em pauta, não foi analisada na sessão. Ela deve ser discutida hoje.

O projeto que prevê o reajuste de 1% para os servidores do Poder Executivo também pode passar por primeira votação na sessão desta segunda. Isso se houver reunião extraordinária da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e da Comissão de Finanças.

Na última quarta-feira (4) o projeto seria analisado em reunião extraordinária da CCJ, mas a ela foi cancelada. Isso porque, a governadora do Paraná, Cida Borghetti (PP), enviou para a Assembleia um substitutivo-geral.

A nova proposta encaminhada não muda o índice de 1%, apenas acrescenta algumas categorias de servidores contemplados com o possível reajuste, como os aprovados em Processo Seletivo Simplificado (PSS) e policiais militares.

No dia o governo suspendeu ainda o regime de urgência para a matéria.

Repórter Lucian Pichetti

Deixe seu comentário