Foto: Cristina Seciuk / CBN Curitiba
Foto: Cristina Seciuk / CBN Curitiba

Correntistas e demais clientes do Bradesco que procuraram por agências da antiga rede HSBC ficaram sem atendimento nesta quarta-feira.
O dia de paralisação foi um protesto dos funcionários, que reclamam de problemas na transição.

Portas externas abertas, mas acesso impedido naquelas equipadas com detector de metais. Foi essa a situação encontrada pelo público durante toda a quarta-feira na agência Palácio Avenida, do antigo HSBC, hoje Bradesco. Uma faixa do Sindicato dos Bancários informava sobre a interrupção no atendimento, naquela unidade e em outras doze de Curitiba.

As agências ficaram fechadas como protesto: os funcionários que migraram do HSBC para o Bradesco afirmam que não receberam treinamento e que vem sofrendo assédio.
Segundo o presidente do sindicato da categoria, Elias Jordão,  o pessoal não foi capacitado e enfrenta problemas para resolver as demandas dos clientes.

Correntista desde o HSBC,  Maria Aparecida Dalpisol, afirma que a situação é perceptível na rotina das agências.

A rede deve abrir normalmente nesta quinta-feira, mas o fechamento pontual já causou transtorno.
A designer Antonela Roverdo precisava descontar um cheque – pagamento que recebeu de um cliente.

À CBN Curitiba,  o Bradesco informou que não vai se manifestar sobre a manifestação dos funcionários.

Repórter Cristina Seciuk

Deixe uma mensagem