Foto: Pedro Oliveira | Alep

Doze deputados estaduais trocaram de partido, com o término da “janela partidária”, o prazo para as mudanças de sigla para as disputas eleitorais deste ano. A oportunidade é prevista pela legislação eleitoral.

A bancada do PSD, partido do pré-candidato ao Governo do Estado, Ratinho Jr., foi a que mais cresceu. Ganhou três novos deputados: Francisco Bührer e Mauro Moraes, que vieram do PSDB, e Ademir Bier, que deixou o PMDB.

Na sequência vêm o PSL e o PP, com dois parlamentares a mais cada um. Para o PP migraram os deputados Gilberto Ribeiro, que saiu do PRB e Luiz Carlos Martins, que deixou o PSD. O PSL passa a contar com os deputados Felipe Francischini, que estava no Solidariedade e Missionário Ricardo Arruda, que deixou o PEN.

O Podemos, com dois nomes, passa a formar uma nova bancada, até então inexistente no Legislativo estadual. Ela é formada pelos deputados Rasca Rodrigues, que saiu do PV e Fernando Scanavaca, anteriormente no PDT.

A deputada Cantora Mara Lima deixou o PSDB para ingressar no PSC, o deputado Marcio Pauliki saiu do PDT e passou para o Solidariedade e Adelino Ribeiro saiu do PSL para integrar o PRP.

De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), as composições devem definir um novo panorama político.

A chamada “janela partidária” é o período de 30 dias (encerrado neste ano no último dia 6) que dá aos parlamentares que desejem se candidatar às próximas eleições a possibilidade de mudar de partido sem prejuízo dos respectivos mandatos.

A Reforma Eleitoral de 2015 incorporou à legislação essa possibilidade de desfiliação.

Repórter Lucian Pichetti

1 Comentário

Deixe uma mensagem