Foto: Reprodução/Facebook

A primeira reunião da executiva nacional do PT, após a prisão do ex-presidente Lula, aconteceu nesta segunda-feira (09) em Curitiba. O partido decidiu transferir simbolicamente a sede do partido para a capital paranaense enquanto o ex-presidente estiver preso na Superintendência da Polícia Federal.

O PT procura manter o discurso unificado na defesa política de Lula e confirmou que a candidatura dele a presidência da república será registrada em 15 de agosto. Em entrevista a CBN, a presidente do partido Gleisi Hoffmann afirmou que uma frente de esquerda deve ser lançada nos próximos dias em apoio ao ex-presidente.

Ela descartou, pelo menos por enquanto, a possibilidade de uma candidatura encabeçada por representantes de outros partidos no primeiro turno.

A ex-presidente Dilma Rousseff também participa da mobilização em defesa política de Lula. Essa semana ela vai fazer palestras na Espanha e na próxima nos Estados Unidos. O partido também aguarda uma definição da justiça em relação as visitas políticas ao ex -presidente. Pelo menos 10 governadores são esperados nesta terça-feira em Curitiba. O atual senador e ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, também manifestou desejo de visitar Lula.

No campo jurídico, o PT continua apostando em uma decisão favorável aos presos após condenação em segunda instância.  O tema pode voltar a pauta do Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira (11), em uma ação de repercussão geral.

Repórter Débora Freitas

Deixe uma mensagem