Foto: Cristina Seciuk

O Partido dos Trabalhadores afirmou que tentará derrubar a decisão que estabeleceu multa pesada em caso de permanência do acampamento em apoio ao ex-presidente Lula, nas proximidades da Polícia Federal, em Curitiba.

Em nota divulgada na tarde deste sábado (14), o Partido dos Trabalhadores, a Central única dos Trabalhadores e movimentos sociais que fazem parte do acampamento em defesa do ex-presidente Lula em Curitiba se manifestaram sobre a determinação da Justiça local, que estabeleceu multa diária de R$ 500 mil, caso o movimento permaneça nos arredores da Superintendência da PF.

No texto, escreve-se que a notícia foi recebida com indignação por PT, CUT e pelos movimentos sociais e demais manifestantes que integram a vigília. Em declaração citada na nota, o presidente do PT Paraná afirma que a decisão é totalmente desproporcional e desequilibrada, e ainda classificada por ele como “Um absurdo jurídico” e um cerceamento ao livre direito de manifestação.

Ainda no texto, há manifestação da senadora pelo Paraná e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, em que se fala em “um processo viciado e cheio falhas”. Para a petista, a situação demostra uma “vergonhosa escalada de perseguição contra Lula”.

A nota segue classificando a decisão como antidemocrática, inconstitucional e arbitrária e termina afirmando que o PT e a CUT tomarão todas as medidas jurídicas cabíveis para garantir o livre direito a manifestação”, que devem entrar com representação junto à justiça paranaense.

A multa foi fixada após pedido encaminhado pela Procuradoria- Geral do Município. No despacho, o juiz substituto da 3ª Vara da Fazenda Pública, Jailton Carlos Tontini, diz que os manifestantes pró e contra Lula, estão descumprindo uma ordem liminar do último dia 8, que determinava que os acampados não impedissem o trânsito de pessoas na área e nem montassem acampamentos ou estruturas semelhantes na proximidades da Polícia Federal.

Segundo a Polícia Militar do Paraná, desde a prisão do ex-presidente Lula, há uma semana, cerca de 500 pessoas estão acampadas de maneira permanente, prejudicando o acesso da população e causando transtornos aos moradores. Conforme a organização do movimento, mais de sete mil pessoas já passaram pelo local.

Repórter Cristina Seciuk

1 Comentário

  1. A senadora petista abandonou seu emprego em Brasília e traiu o Paraná. Deveria ser cassada por falta de ética para com os cidadãos que a elegeram porque incentivou a desobediência às leis e incentiva pessoas de outros Estados a molestarem moradores em sua próprias casas. Pagam impostos, mas tem sua liberdade atropelada por centenas de manifestantes convocados por ela própria.

Deixe seu comentário