Foto: Lucian Pichetti
Terrazza Panorâmico

A festa começou no início da tarde com o baile infantil. Depois foi a vez de sete blocos carnavalescos tomarem conta da avenida. Como já é tradição, o Rancho das Fores, que reúne foliões da melhor idade, fechou o desfile.

Por volta das 19h teve início o desfile das escolas de samba do Grupo de Acesso: Enamorados do Samba, Unidos de Pinhais, Império Real de Colombo e Os internautas empolgaram os foliões.

A bailarina Júlia Meireles representou a diversidade brasileira na comissão de frente da Enamorados.

Acostumada a pular carnaval em clubes, a aposentada Ana Maria Martins, de 77 anos, desfilou em escola de samba pela primeira vez.

O cortejo real puxou todas as escolas pela avenida. Para Rei Momo Rubens Marques da Silva, foi uma grande satisfação.

Renata Carolina Rosa é a rainha do carnaval de Curitiba. Para a jovem, representar a festa é uma honra.

Após o desfile das escolas do Grupo de Acesso foi a vez do Grupo Especial pisar na avenida. Quem abriu o desfile foi a Imperatriz da Liberdade, seguida pela Embaixadores da Alegria, Leões da Mocidade, e Acadêmicos da Realeza. A campeã de 2017, Mocidade Azul, fechou o desfile, já na madrugada de domingo (11).

A Avenida Marechal Deodoro é palco tradicional dos desfiles em Curitiba. Os carnavais passados estão frescos na memória do prefeito Rafael Greca.

Quem veio de fora, como o administrador carioca Alexandre Pena e o analista de compras paulista Wellington Cirilo, garante que o desfile curitibano não fica atrás dos demais.

O diretor de ação cultural da Fundação Cultural de Curitiba lembra que o Carnaval não termina na Marechal Deodoro.

Repórter Lucian Pichetti

Deixe uma mensagem