Foto: Polícia Civil
Terrazza Panorâmico

A quadrilha praticava golpes na venda de pacotes de viagem para a Terra Santa, em Israel. Ao todo, foram expedidos 22 mandados judiciais pela 7ª Vara Criminal da Região Metropolitana de Curitiba, sendo quatro de prisão preventiva, cinco de prisão temporária e 13 de busca e apreensão, além do bloqueio das contas dos envolvidos. A ação teve o apoio das Polícias Civis de Santa Catarina e São Paulo.

De acordo com o delegado André Feltes, da Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor, alguns pastores evangélicos ocupavam posições de destaque na quadrilha. Os investigados frequentavam cultos e encontros cristãos para conquistar a confiança de fiéis e fazer a oferta de viagens, que nunca aconteceriam.

O grupo realizava ampla divulgação de seus serviços em redes sociais e propagandas televisivas.

O delegado explica que envolvidos constituíram diversas empresas em nome de “laranjas” com o objetivo de lesar, especificamente, fiéis das entidades religiosas.

O líder do grupo criminoso já havia sido preso no ano de 2015 ao aplicar o mesmo tipo de golpe. Segundo a Polícia Civil, mais de mil pessoas em vários estados, como Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Roraima e Pará, podem ter sido lesadas no esquema. A maioria delas era idosos.

Foram cumpridos mandados em diversos bairros de Curitiba; em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba; em Sarandi, no noroeste do Paraná; em São Paulo (SP) e Piracicaba (SP).

Repórter Francielly Azevedo