Foto: William Bittar

Quatro pessoas foram presas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná (MP-PR). Além disso, foram expedidos sete mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Cricket, que investiga uma associação criminosa que vendia lotes ilegais.

De acordo com a 5ª Promotoria de Justiça de Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, responsável pelas investigações, o grupo vem atuando desde janeiro de 2015 com a comercialização irregular de lotes situados em áreas de preservação no município de Campo Magro. Foi constatado ainda que, quando percebiam que haviam sido lesados e suspendiam os pagamentos, os compradores eram ameaçados, com armas, pelos integrantes da associação criminosa. Em alguns casos, os criminosos chegaram a invadir as residências dos compradores.

Foram identificadas cerca de 70 famílias lesadas com a prática e, pelo menos, nove processos de rescisão de contrato tramitam na justiça, tendo os advogados que postularam as medidas judiciais sido ameaçados pelos criminosos.

Conforme a promotora de Justiça de Almirante Tamandaré, Mariana Dias, os investigados são suspeitos de diversos crimes.

Os mandados de busca e apreensão são cumpridos em Curitiba, Almirante Tamandaré, Ponta Grossa e Guaratuba. Dos alvos dos mandados de prisão, dois foram presos em Curitiba, um em Almirante Tamandaré e um em Ponta Grossa.

Repórter Francielly Azevedo