Foto: Pedro de Oliveira/Alep

Faltam exatos 29 dias para a posse de Ratinho Jr. e há algumas definições sobre os primeiros passos e a linha de atuação da futura gestão estadual.

Reinold Stephanes, que integra a equipe de transição e foi o coordenador do plano de governo de Ratinho Jr., disse que uma das metas é cortar a burocracia para facilitar a governabilidade.

Para isso seria necessário diminuir secretarias e postos de comando dentro do primeiro escalão do governo. Foi uma das promessas de Ratinho Jr na Campanha Eleitoral.

Reinold Stephanes falou ainda que um estudo foi encomendado junto à Fundação Dom Cabral, para que seja reconfigurado o primeiro escalão estadual.

O resultado deve ficar pronto em duas semanas. A partir daí vai se ter noção de quantas secretarias serão extintas.

Na alta cúpula do governo alguns nomes já foram apresentados. O professor paulista Renato Feder vai ser o responsável pela Secretaria Estadual da Educação.

Há alguns dias foi anunciado o General Luiz Felipe Carbonell como futuro Secretário de Segurança Pública. Ele já definiu alguns nomes que vão ocupar cargos estratégicos. O delegado geral da Polícia Civil será Sílvio Rochembach.

O futuro comandante da Policia Militar do Paraná será o Coronel Péricles de Matos. Ele chega dizendo que a corporação usará a tecnologia para otimizar as ações na área de segurança pública. Há também uma preocupação com relação às condições de trabalho e com a qualidade de vida dos policiais que estão na ativa

Outra estratégia de governabilidade é costurar uma ampla base de apoio na Assembleia Legislativa do Paraná. Neste sentido, e pelo menos neste momento, Ratinho Jr tem o apoio incondicional do deputado estadual eleito Fernando Francischini, do PSL, ele que foi um dos responsáveis pela campanha de Jair Bolsonaro à presidência.

A solenidade de posse de Ratinho Jr. está marcada para às 08:30 de uma terça-feira, 1° de Janeiro de 2019.

Repórter Fábio Buchmann