fraudes-fiscais-receita-estadual
Foto: Divulgação
Terrazza Panorâmico

Uma operação realizada nesta quinta-feira pela Receita Estadual fiscalizou 13 empresas, de diversas regiões do estado, suspeitas de serem “noteiras”. Elas teriam sido criadas apenas para a prática de fraudes fiscais, emitindo notas fiscais para acobertar crimes e sonegação de impostos.

Numa primeira avaliação, essas empresas seriam responsáveis por um desvio de 33 milhões e 500 mil reais. Elas estão distribuídas pelas regiões cobertas pelas Delegacias Regionais de Curitiba, Londrina, Maringá, Pato Branco e Jacarezinho; todas são do ramo de comercialização de produtos agrícolas primários, exceto uma, que trabalha com metais.

Agora, haverá um trabalho conjunto com o Ministério Público para que sejam convocados os sócios e contadores para identificar quem são os verdadeiros proprietários destas empresas utilizadas para fraudes fiscais.

De acordo com a Inspetoria Geral de Fiscalização, numa próxima etapa, serão notificados os fornecedores e destinatários. De acordo com as investigações, as empresas conseguiram licença de forma regular, mas acabam funcionando como laranjas em ações como fraudes fiscais, emissão de documentos falsos sobre vendas efetuadas por outras empresas ou para gerar créditos indevidos de ICMS.

Os auditores-fiscais visitaram as empresas sob a coordenação do Setor de Pesquisa e Investigação da Receita Estadual.

Repórter Fábio Buchmann