Recessão provoca mais uma queda no índice que mede a intenção de consumo das famílias paranaenses

Recessão provoca mais uma queda no índice que mede a intenção de consumo das famílias paranaenses
Foto: José Cruz/Agência Brasil

A intenção de consumo das famílias caiu mais uma vez no Paraná por causa da crise. O índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), elaborado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), marcou 98,3 pontos em julho.

Isto representa queda de 1,4% em relação a junho e baixa de 6,3% na variação anual. O cenário paranaense segue a tendência nacional de queda.

A média brasileira do ICF apresentou redução de 1,7% na comparação com junho, mas ainda mantém alta de 5,5% na comparação com julho do ano passado.

Os fatores que mais influenciaram a redução foram Perspectiva Profissional, que apresentou redução de 3,4% de junho para julho, e a Perspectiva de Consumo, que baixou 8,6%.

Na variação anual, os aspectos que sofreram maior retração foram Momento para Compra de Bens Duráveis (-19,8%), Perspectiva Profissional (-13,9%) e Perspectiva de Consumo (-9%).

Somente o quesito Acesso ao Crédito se mantém positivo na análise anual, com alta de 8% em relação a julho de 2018 e estabilidade na comparação com junho.

Na segmentação por renda, houve melhora do indicador entre as famílias com rendimento mensal superior a dez salários mínimos, que passou de 99,3 pontos em junho para 102,9 pontos neste mês, uma alta de +3,6%. Já entre as famílias com renda abaixo deste patamar, o indicador caiu 2,5%, baixando de 99,8 pontos para 97,3 pontos em julho.

Repórter Fábio Buchmann