Foto: Pixabay
Terrazza Panorâmico

O agronegócio passa por mudanças contínuas e muitas delas impactam diretamente na vida do trabalhador do campo. Maquinários diferentes, drones que podem fazer o mapeamento de uma safra inteira e, até mesmo, coletores de dados via geolocalização que avaliam o perfil do trabalhador e a demanda diária cumprida.

Do outro lado, quem faz o controle de tudo isso está no RH, trabalhando em formas para minimizar custos, aumentar a produtividade e não perder dias e dias fazendo a folha de pagamento com um trabalho que não tem hora para começar nem para terminar.

Para Alberto de Oliveira, coordenador de Operações Administrativas e de Pessoal da Syngenta Agrícola, em épocas de safra é necessária a contratação de trabalhadores e fazer o controle de tudo fica facilitado com o uso de novas tecnologias.

Oliveira ressalta que a tecnologia também melhora o rendimento do trabalhador, pois, ele consegue fazer uma autoavaliação da produtividade diária e saber a remuneração antes mesmo da folha de pagamento.

O uso de coletores de dados no campo já é uma realidade em grandes empresas e multinacionais, com a principal vantagem de reduzir a chance de erros e garantir informações mais seguras ao empregado e ao empregador.

Repórter William Bittar