Foto: Daniel Castellano / SMCS

O projeto de lei da prefeitura de Curitiba, foi encaminhado na semana passada à Câmara Municipal. Ele trata de alterações na lei que dispõe sobre a instalação de equipamentos de bilhetagem eletrônica no transporte coletivo público.

Atualmente a lei diz que deverão ser mantidos os cobradores nas estações-tubo, terminais de transporte e no interior dos coletivos, ressalvados aqueles atendidos pelas estações-tubo e os micro-ônibus.

Se o projeto da prefeitura for aprovado, a legislação vai autorizar a implementação exclusiva do Sistema de Bilhetagem Eletrônica por meio da utilização dos cartões transporte nos pontos de acesso aos serviços de transporte coletivo do Município de Curitiba.

A possibilidade já gerou reação de vereadores ligados ao Sindimoc. Rogério Campos, do PSC, subiu à tribuna nesta segunda-feira e fez um discurso dizendo que se a proposta for aprovada, vai deixar famílias inteiras desamparadas.

Apesar do receio e das reclamações, o presidente da URBS Ogeny Pedro Maia Neto, reforçou que o objetivo desta mudança é a modernização do sistema e a diminuição no número de assaltos ao transporte coletivo.

Ainda segundo o presidente da URBS, não se fala em extinção da função do cobrador mas na redução desta atividade.

A mensagem foi encaminhada no dia 24 de outubro, mas ainda não há definição de uma data específica para a votação em plenário.

Repórter Fábio Buchmann