Foto: Divulgação
Terrazza Panorâmico

A atual forma de consumir cinema, por streaming (transmissão contínua), tem sepultado vídeo locadoras mundo a fora. Em Curitiba não é diferente. Se na metade do ano passado encerrou as atividades a primeira locadora da Capital (a Vídeo 1, após 38 anos), no dia 26 de fevereiro será a vez da segunda mais antiga.

Após 33 anos de atividade, o proprietário da Cartoon Vídeo, Neivo Zanini, tomou a decisão mais difícil da vida, que vai deixar mais de 150 mil órfãos na capital.

As portas da loja do Cabral fecham na segunda-feira, mas reabrem em março.

Apesar da crise, que assola as vídeo locadoras a pouco mais de seis anos, Neivo não tem do que reclamar. Pelo contrário.

Neivo vai alugar o imóvel e investir em outro negócio. O empresário lamenta o fim de um ritual, que levava as famílias às locadoras e as aproximava do cinema.

Repórter Lucian Pichetti