Foto: William Bittar

Depois do início do serviço de bicicletas e patinetes compartilhados em Curitiba, a prefeitura da cidade já admite que o serviço deve ser expandido com a chegada de novas empresas que disponibilizam o aplicativo de compartilhamento a partir de fevereiro.

A afirmação foi dada à rádio CBN Curitiba pela superintendente de Trânsito da Secretaria Municipal de Defesa Social, Rosangela Maria Battistella.

Ela explica que o local de atuação do serviço deve continuar nas regiões onde já atua, desde a última semana, a empresa Yellow, ou seja, não vai abranger, pelo menos por enquanto, outros bairros fora o Centro, Centro Cívico, Ahu, Cabral, Juvevê, Alto da Glória, Hugo Lange, Alto da Rua XV, Batel, Seminário, Rebouças e Campina do Siqueira.

Com relação aos patinetes elétricos que também são disponibilizados pela plataforma, Battistella afirma que a questão de legislação do uso desse equipamento está sendo analisada, mas requer estudos mais aprofundados.

Como a rádio CBN Curitiba informou na última semana, apesar de alguns casos envolvendo a tentativa de furto das bikes e também de algumas pessoas que danificaram os equipamentos, o serviço parece que já caiu no gosto dos usuários.

Repórter William Bittar