Foto: Divulgação

A SESA divulgou neste domingo mais um boletim médico sobre o estado de saúde do homem que foi baleado no acampamento Marisa Letícia, na Rua Padre João Wislisnki no Santa Cândida.

Segundo a secretaria, Jefferson Lima de Menezes permanece internado na UTI do Hospital do Trabalhador, mas não está mais respirando por aparelhos, desde o início da tarde deste domingo.

De uma forma geral o quadro clínico é bom segundo o que foi informado. O crime ocorreu na madrugada de sábado. A SESP divulgou imagens de câmeras de segurança que registraram a ação do atirador.

Nas imagens um homem aparece andando em direção ao acampamento e atira. Em seguida ele aparece correndo na direção contrária, e atira mais uma vez antes de desaparecer da imagem. Além de Jeferson, uma mulher que estava em um banheiro químico no momento do ataque, ficou ferida com estilhaços.

Ela também precisou de atendimento médico. Peritos da Polícia Cientifica do Paraná recolheram pelo menos cinco cápsulas de pistola 9 mm. Foi aberto um inquérito para apurar o caso, que está sendo tratado coimo uma tentativa de homicídio.

Em reunião que ocorreu no sábado entre representantes do PT e da SESP, ficou definido que o acampamento terá reforço permanente na segurança, e que a investigação vai ocorrer da forma mais rápida possível.

A polícia pede para quem tiver qualquer informação sobre o caso, que ligue no telefone 0800-643-1121. A ligação é gratuita e anônima.

Após o ocorrido o prefeito Rafael Greca afirmou que é preciso que a Justiça atenda o pedido da Procuradoria Geral do Município, que pede a transferência do ex-presidente Lula da sede da Polícia Federal em Curitiba.

O prefeito disse que “A paz social em Curitiba só depende da Justiça”. No site oficial da prefeitura, Rafael Greca condenou o atentado. Já o presidente estadual do PT, Dr. Rosinha, disse não restar dúvidas de que o que houve foi um atentado contra a democracia.

Na manhã de domingo pouco mais de 24h após o ataque, o clima ainda era de tensão onde ocorreu o tiroteio. No Entanto, um dos organizadores do acampamento, Túlio Siviero, disse que apesar da intranquilidade, este tipo de atitude só fortalece as manifestações a favor de Lula.

Depois do atentado ao acampamento, uma viatura com dois policiais militares foi posicionada a poucos metros do local.

Repórter Fábio Buchmann

Deixe uma mensagem