Foto: William Bittar

O delegado Amadeu Trevisan, responsável pelas investigações sobre a morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, de 24 anos, ouve nesta segunda-feira (19), Eduardo Purkote Chiuratto, de 18 anos, preso na última semana por envolvimento na morte do atleta.

O jovem foi o sétimo preso nas investigações, pois, de acordo com os depoimentos de testemunhas, ele teria participado das agressões contra o atleta e ainda quebrado o celular de Daniel, além de ser o responsável por pegar a faca do crime.

O advogado que representa Eduardo Purkote, doutor Ricardo Dewes, no dia seguinte à prisão, encaminhou nota à rádio CBN Curitiba dizendo que o pedido de prisão não tem fundamento e que o cliente sempre esteve disposto a contribuir com as autoridades, falou a verdade em depoimento e não coloca nenhum risco ao curso das investigações.

Por fim, Dewes ressaltou que o jovem é um menino de família, com princípios e que está desesperado com tudo o que está acontecendo.

A Polícia Civil de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, pretende encerrar nesta semana o inquérito policial que investiga a morte do jogador.

Além de Purkote, Edison Brittes, autor confesso do crime, Cristiana Brittes, esposa de Edison, Allana Brittes, filha do casal, David Vollero Silva, Ygor King e Eduardo Henrique da Silva, também estão presos.

Após o encerramento das investigações, o inquérito será encaminhado ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) que analisa e oferece denúncia contra os presos. Todos serão indiciados por homicídio qualificado.

Repórter William Bittar