Foto: Divulgação/São Paulo
Terrazza Panorâmico

Eduardo Henrique da Silva, de 19 anos, o sexto preso por envolvimento na morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, de 24 anos, será ouvido nesta segunda-feira (12), na Delegacia de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, pelo delegado Amadeu Trevisan, responsável pelas investigações sobre a morte do atleta.

De acordo com o delegado, Eduardo é primo de Cristiana Brittes, que também está presa. Ela é esposa de Edison Brittes, que confessou ter matado Daniel.

Segundo as investigações, Eduardo ajudou Edison no espancamento e também a levar o jogador para o matagal, na zona rural de São José dos Pinhais, onde ele foi morto.

Na última semana, Deivid Willian Vollero Silva e Ygor King, que também tiveram participação no crime, prestaram depoimento. Ao delegado, eles revelaram que foram ameaçados por Edison para que ajudassem a encobrir o crime.

Os advogados de defesa dos jovens, Robson Domacoski e Allan Smaniollo, afirmaram que os dois não desceram do carro e que somente Edison e Eduardo completaram o crime no matagal.

O depoimento de Eduardo Henrique é o último dos que tiveram envolvimento direto na morte de Daniel. Depois disso, o delegado deve ouvir apenas testemunhas complementares para finalizar o inquérito policial.

Ao todo, seis pessoas estão presas e serão indiciadas por homicídio qualificado.

Repórter William Bittar