Foto: Gilson Abreu/ANPr
Terrazza Panorâmico

O Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos do Paraná (Sindirepa) destacou que sempre defendeu um modelo diferente de gestão da frota oficial do estado. Conforme a entidade, a direção já havia, inclusive, oficializado junto ao governo e outras autoridades, como o Ministério Público do Paraná, sobre a discordância em relação ao tipo de contrato formalizado.

A Operação Peça Chave apura o prejuízo de mais de R$ 125 milhões ao Governo do Paraná por meio de um contrato com a empresa JMK para manutenção de carros oficiais, principalmente viaturas policiais e ambulâncias.

Conforme o diretor tesoureiro do Sindirepa, Evaldo Kosters, o modelo adotado prejudicou também muitas oficinas.

Kosters explica que esse modelo de intermediação facilita a prática de fraudes, já que não tem uma firme fiscalização.

O diretor do Sindirepa destaca que é necessário adotar um novo modelo em que o próprio governo seria o responsável pela administração e contratação dos prestadores de serviços. O poder público é que ficaria com a responsabilidade de contratar individualmente as oficinas mecânicas via lotes ou por regiões.

Na sexta-feira, a Justiça concedeu uma liminar que autoriza a Secretaria de Estado da Administração e da Previdência a pagar diretamente os consertos de veículos da frota que estão parados nos pátios das oficinas.

A autorização judicial permite que o Governo pague pelos reparos de veículos que estão com ordens de serviços abertas, e cujos recursos destinados a estes consertos ainda não foram repassados pelo Estado à empresa, que até então era responsável pela manutenção da frota estadual. Dos 18 mil veículos que compõe a frota do Estado, cerca de 700 estão com ordens de serviço abertas e ainda não foram consertados.

Por meio de nota, o Governo informou ainda que as dívidas existentes com várias oficinas que já fizeram reparos em carros oficiais e não receberam da JMK deverão ser cobradas diretamente da empresa, uma vez que o Estado já efetuou estes pagamentos à contratada.

O edital de licitação para contratação de nova empresa responsável pela manutenção da frota deve ser lançado nas próximas semanas. 

Repórter Francielly Azevedo