Foto: Divulgação AEN

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu a soltura do ex-chefe de gabinete do ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), Deonilson Roldo. Considerado o braço direito de Richa, ele estava preso desde 11 de setembro, no âmbito da Operação Lava Jato. Com a decisão, proferida na manhã desta terça-feira (29), Roldo poderá responder o processo em liberdade.

A informação foi confirmada pelo advogado de Roldo, Roberto Brzezinski. Ele explicou que o STJ não concedeu a liminar, mas o mérito do Habeas Corpus em decisão monocrática do presidente.

Ainda segundo Brzezinski, a Vara de Execuções Penais da Justiça Federal, em Curitiba, deve ser comunicada da decisão nesta terça-feira. Com isso, Deonilson deve ganhar liberdade ainda hoje. A íntegra do despacho só será publicada no dia 4 de fevereiro.

Roldo é suspeito de comandar um esquema de favores em troca de recebimento de propina em forma de doação para campanhas de Beto Richa. Ele foi alvo da 53ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Operação Piloto e responde por fraude a licitação, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), o ex-chefe de gabinete de Richa fez um acordo ilícito com a empreiteira Odebrecht para obras na PR-323, que liga Maringá, no norte do estado, a Francisco Alves, no noroeste. Apenas a Odebrecht participaria da licitação. Em contrapartida, a empresa pagaria R$ 4 milhões para Roldo. A Odebrecht venceu a concorrência, mas a obra não saiu do papel.

Repórter Francielly Azevedo