Foto: Divulgação

Depois de ser barrado na tentativa de visita a Lula na Polícia Federal, o vereador por São Paulo e ex-senador Eduardo Suplicy foi recebido pela juíza Carolina Lebbos na sede da Justiça em Curitiba. Apesar de não ter horário marcado, o petista conseguiu se reuniu com a magistrada para falar sobre as recentes negativas de visitas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso há vinte dias na Superintendência da Polícia Federal.

Além do fato de ele próprio ter tido negado o acesso ao ex-presidente, em despacho da juíza, outro ponto foi questionado na audiência segundo Suplicy: a não autorização de atendimento médico a Lula dentro do local de custódia.

O requerimento para que Lula pudesse ser atendido pelos médicos Rui de Oliveira e Darley Wollmann Jr foi apresentado pelos advogados do ex-presidente no dia 20 e reforçado nesta quarta (25), entretanto, a juíza entendeu que não havia indicação de urgência no pedido. No despacho em que trata da questão, Lebbos afirmou que solicitou informações à PF, para que possa decidir adiante se acatará ou não o pedido de visita dos médicos.

Na solicitação da defesa, a argumentação é de que Lula tem 72 anos, teve câncer em 2011 e necessita de assistência específica, inclusive com avaliações cardiológicas, que vinham sendo realizadas periodicamente.

Acompanhado da ex-vice-prefeita de Curitiba e advogada Mirian Gonçalves, o vereador afirmou que devem ser apresentados recursos para garantir o ingresso dos médicos na superintendência.

O vereador petista Eduardo Suplicy planejava visitar Lula e entregar a ele três mil cartas encaminhadas a ele pela internet desde que anunciou que viria à cidade. O material, que foi encadernado, teve entrada autorizada na PF e foi repassado a Lula pelos filhos, durante a visita desta quinta (26).

Repórter Cristina Seciuk

Deixe uma mensagem