Foto: José Adair Gomercindo/SECS

A partir das 00h de quinta-feira (13) as tarifas de pedágio do Anel de Integração do Paraná vão subir de 6,6% a 17,6%. Os índices eram pra ser reajustados no último dia 1º de dezembro, mas um impasse judicial atrasou a alteração. Das seis concessionárias que atuam no Paraná, apenas a Econorte não teve seu reajuste divulgado. Segundo a assessoria de imprensa da concessionária, o pedido de reajuste já foi encaminhado ao DER e está aguardando autorização e homologação.

Após receber as resoluções homologatórias da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar), o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) autorizou o aumento de preço nas empresas Ecovia, Caminhos do Paraná, Ecocataratas, Rodonorte e Viapar. Ao todo, 24 praças de pedágio sofrerão o acréscimo no valor da tarifa.

O reajuste aprovado é quase 5% maior que a inflação acumulada no período. Conforme o DER, o reajuste está acima da inflação porque é baseado em uma fórmula paramétrica composta por índices setoriais divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), conforme previsão contratual.

Com o reajuste, a menor tarifa para carros será na praça de Balsa Nova, com valor de R$ 8,70. Já a maior é a de São José dos Pinhais, no trecho que liga Curitiba ao litoral do Paraná, onde o valor será de R$ 20,90.

O aumento da tarifa de pedágio tem preocupado o setor de turismo. O presidente da Associação dos Hotéis, Pousadas, Restaurantes, Bares, Casas Noturnas, Prestadores de Serviços e Similares do Litoral Paranaense, Carlos Alberto Freire, lamentou o reajuste e disse que o valor deve afugentar os turistas para o litoral de Santa Catarina, onde a tarifa de pedágio é menor.

Carlos Alberto contou que os comerciantes do litoral paranaense se preparam o ano todo para chegada da temporada de verão. Com o valor mais alto do pedágio os trabalhadores estão com medo que o fluxo de viajantes seja menor, principalmente porque o chamado “bate e volta” fica inviável, já que custará mais de R$ 40 reais se o turista quiser passar um dia apenas no litoral.

A Federação de Turismo (Feturismo) também lamentou o reajuste. Segundo a Feturismo, o reajuste também afeta o turismo de Foz do Iguaçu, já que para viajar de Curitiba até a terra das cataratas são nove praças de pedágio em pouco mais de 600 quilômetros da Br-277.

Repórter Francielly Azevedo

*Atualizado às 9h54 do dia (12/12)