TCE faz recomendação para governo melhorar segurança de museus

TCE faz recomendação para governo melhorar segurança de museus

Com o objetivo de evitar tragédias como a ocorrida no incêndio do Museu Nacional no Rio de Janeiro em 2018, o Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR) emitiu 16 recomendações para que o governo do Estado melhore a segurança de instalações e acervos dos Museus do Paraná.

As medidas foram sugeridas pela Segunda Inspetoria de Controle Externo (2ª ICE) do TCE, depois de uma auditoria realizada entre fevereiro e julho deste ano, por meio de reuniões e oficinas de trabalho online.

O prazo para que a Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura (SECC) que tem a gestão dos museus melhore a estrutura de segurança é de 180 dias.

Entre os problemas encontrados nos locais fiscalizados, estão a inexistência de instituição formal de programa de segurança; a falta de política de proteção aos acervos; a ausência de manutenção preventiva nas instalações elétricas; e a inobservância de normas do Corpo de Bombeiros.

Das principais instituições estaduais do tipo, apenas o Museu do Expedicionário, em Curitiba, encontra-se em plena conformidade com a legislação, e às boas práticas de segurança museológica. Por outro lado, necessitam de adequações o Museu Casa Alfredo Andersen, o Museu da Imagem e do Som do Paraná, o Museu de Arte Contemporânea do Paraná e o Museu Paranaense, todos localizados na capital.

Em nota, a superintendente da Cultura do Paraná, Luciana Casagrande Pereira, reafirmou o compromisso de revitalizar estruturalmente todos os museus do Estado. Ressaltou ainda que desde o início da atual gestão, medidas estão sendo tomadas nesse sentido.

Repórter Vanessa Fernandes com Assessoria