Quem foi Telêmaco Borba

Quem foi Telêmaco Borba
Foto: Reprodução

Escritor, explorador, empreendedor, político, geólogo e paleontólogo. Telêmaco Augusto Enéas Morosini Borba foi tudo isso e, ainda por cima, autodidata. Aposto que você apenas associava Telêmaco Borba a uma cidade dos Campos Gerais do Paraná.

Nasceu em Curitiba, em 15 de setembro de 1840. Já adulto, decidiu complementar a tarefa missionária dos padres capuchinhos, e, aos 23 anos, foi nomeado para dirigir o Aldeamento Indígena de São Pedro de Alcântara, iniciando suas atividades de sertanista.

Em 1878 fundou o Toldo Indígena de Barreiro, no município de Reserva. Pouco tempo depois foi nomeado Diretor dos Índios no Amparo, no município de Tibagi.

Em 1882, escreve o Pequeno vocabulário das línguas Portuguêsa e Kaigangues ou Coroados acompanhado de outro Vocabulário das línguas Cayuguas e Chavantes, ambos publicados no Catálogo dos Objetos do Museu Paranaense. Até os dias atuais, as obras são as únicas existentes no gênero.

Como explorador, Telêmaco ajudou a executar o projeto de uma estrada férrea no sentido do Mato Grosso, cujo traçado previa uma ponte sobre o Salto, em Guairá, O sertanista aceitou o comando da empreitada, buscando quebrar o mito de atingir seu objetivo pela via aquática. Após 45 dias, Telêmaco e seus comandados conquistam as Sete Quedas e cumprem a missão taxada de “impossível”.

O senso crítico o tornou um rebelado. Cerrou fileiras na Revolução Federalista de 1894, o que lhe rendeu, ao final da revolta contida, longos meses de exílio no Uruguai.

Após a anistia, retornou ao Brasil, elegendo-se deputado provincial e, mais tarde, deputado ao Congresso Legislativo Estadual, vice-presidente do Estado e prefeito de Tibagi.

Foi Telêmaco Borba quem percebeu que as terras do norte do estado eram ideais ao plantio do café. Morreu aos setenta e oito nos, vítima de gripe espanhola, em Tibagi.