Foto: Divulgação/Polícia Civil

O jovem Eduardo Purkote Chiuratto, que se tornou uma das testemunhas do caso da morte do jogador de futebol Daniel Corrêa Freitas, assinou um termo circunstanciado na Delegacia da Operação Verão em Guaratuba, no litoral do Estado, após ter sido detido durante uma confusão em uma festa na cidade. O caso aconteceu na madrugada desta terça-feira (5) e ele deve participar de uma audiência judicial na tarde desta quarta-feira (6).

Segundo o boletim de ocorrência, Purkote estava na companhia de outro jovem quando se envolveu em confusão no meio de uma festa de Carnaval que acontecia na cidade. Policiais militares foram acionados e pediram para que os dois deixassem o local. No entanto, Purkote e o amigo retornaram à festa.

A testemunha do caso Daniel foi impedida de voltar ao mesmo lugar por uma policial e a empurrou. Isto motivou a ordem de prisão. Purkote resistiu, mas foi contido pela equipe policial. O outro jovem também foi preso, por desacato.

Purkote assinou um termo circunstanciado e foi liberado posteriormente. A reportagem da CBN Curitiba entrou em contato com a defesa dele, que não quis se pronunciar sobre os fatos e confirmou apenas a realização da audiência na Justiça para a tarde desta quarta-feira.

Eduardo Purkote Chiuratto chegou a ser preso, em novembro do ano passado, por envolvimento na morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, após a indicação de uma testemunha do caso. No entanto, o Ministério Público do Paraná não ofereceu denúncia contra ele. Purkote configura como testemunha no processo.

As audiências de instrução do caso, quando são ouvidas as testemunhas, aconteceram no mês de fevereiro. A sequência desta fase do processo está marcada para abril, quando haverá os depoimentos das testemunhas de defesa.

Repórter Joyce Carvalho