Foto: Reprodução/EBC
Terrazza Panorâmico

Em 2018, mais de 1,2 milhão de pessoas saíram da informalidade e do desemprego graças ao trabalho temporário. Os dados são da Associação Brasileira do Trabalho Temporário e representam um crescimento de 23% dessa demanda em relação a 2017.

O trabalho temporário surge como uma alternativa para o trabalhador que quer se recolocar no mercado e também para a recuperação da economia.

A diretora de Recursos Humanos da Incepa, Rozane Gadens, ressalta que o trabalhador que entra temporariamente em uma empresa, além de ter a expectativa de ser efetivado em alguma oportunidade, tem os mesmos direitos de um trabalhador com a carteira assinada.

O trabalho temporário pode ser de 180 dias e ser prorrogável por mais 90, mas depois desse período, o trabalhador só pode ser recontratado pela mesma empresa após três meses para prestar o mesmo serviço.

Rozane Gadens lembra que, quem faz a contratação dos temporários também tem benefícios. Um deles é o de poder preparar o profissional para necessidades específicas da empresa.

Os períodos com maior contratação temporária acontecem justamente no final do ano, principalmente para comerciantes, pois, a proximidade das festas de Natal e Ano Novo e ainda o pagamento do 13º salário acabam aquecendo a economia desse setor.

Repórter William Bittar