Foto: Agência PRF / Divulgação
Terrazza Panorâmico

Um homem de 24 anos, que vendia cocaína a caminhoneiros, foi preso nesta sexta-feira (27), na Grande Curitiba. Segundo a polícia, ele mantinha um serviço de entrega, que funcionava a partir de um aplicativo de mensagens instantâneas.

A abordagem, feita em conjunto por equipes da Polícia Civil do Paraná e da Polícia Rodoviária Federal, ocorreu no Contorno Leste, que fica na BR-116, em São José dos Pinhais. Para encontrar os papelotes da droga, os agentes contaram com a ajuda de um cão farejador, da Divisão de Narcóticos.

O traficante estava com o carro estacionado ao lado de uma carreta, no quilômetro 99. O fato levantou a suspeita dos policiais, que transitavam pela outra pista. Ao avistar a equipe, o motorista manobrou e arrancou, em alta velocidade. Mas foi alcançado, depois de percorrer dois quilômetros.

Um dos papelotes encontrados estava dentro do banco do condutor. Outros dois, também no interior do veículo. A ocorrência foi encaminhada para a delegacia da Polícia Civil, em São José dos Pinhais. O crime de tráfico de drogas tem pena prevista de cinco a quinze anos de prisão.

No mês passado, o mesmo motorista foi abordado pela PRF. E, em seguida, liberado. Com ele, havia dinheiro trocado, em outro veículo, que foi recolhido, por dirigir sem carteira de habilitação.

Já no início do ano, um caminhoneiro que estava sob influência de cocaína tentou fugir. Mas, depois de dirigir por mais de 60 quilômetros, ele foi abordado na BR-116, em Campina Grande do Sul, que também fica na região de Curitiba.

Além de ser um crime de trânsito, que tem pena de seis meses a três anos de prisão, dirigir sob efeito de substância psicoativa é uma infração gravíssima. Com suspensão direta da carteira de habilitação, pelo período de um ano, a multa aplicada é de R$ 2,9 mil.

Repórter Marcelo Ricetti