sarampo-jpg
Foto: Divulgação
Terrazza Panorâmico

Em onze dias, pulou de oito para 17 os casos de sarampo confirmados na Universidade Federal do Paraná. Além disso, 43 suspeitas também foram levantadas pela Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba. Os dados foram divulgados pela UFPR nesta quarta-feira (16).

De acordo com a Universidade, a maior incidência entre suspeitos e confirmados ocorre no campus do Politécnico e do Botânico, no entanto, não foi divulgado se os casos são apenas em estudantes ou incluem professores e servidores da instituição.

A superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), Dra. Acácia Nasr, explica que a preocupação com os jovens de 20 a 29 anos, justamente faixa etária de estudantes universitários, se dá também pela participação em eventos com aglomeração de pessoas.

Desde o dia 03 de outubro acontece a primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo, onde são imunizadas as crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

Acácia Nasr ressalta a importância da vacinação desse público e reforça o pedido para que as mães levem as crianças até a unidade de saúde.

Em Curitiba, mesmo com a campanha, a vacinação é liberada para toda a população nas 110 unidades básicas de saúde, seguindo o recomendado pelo Ministério da Saúde, no Calendário Nacional de Vacinação.

De acordo com esse calendário, crianças, adolescentes e adultos de até 29 anos devem ter duas doses da vacina contra o sarampo, feitas após um ano de idade.

Adultos de 30 a 49 anos devem ter pelo menos uma dose, feita após um ano de idade.

Contraindicação

A vacina é contraindicada para menores de seis meses, gestantes, pacientes imunodeprimidos ou com histórico de reação alérgica grave, após dose prévia ou após contato com as substâncias que compõem a vacina. Recomenda-se também um intervalo de 30 dias após a vacina para as mulheres tentarem engravidar.

Repórter William Bittar