Foto: Prefeitura de Curitiba

127 bolsas de mestrado e doutorado da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foram suspensas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O corte, segundo a UFPR, atinge as chamadas vagas vacantes, que são as bolsas que estavam ocupadas por estudantes que finalizaram os cursos e que seriam repassadas a um novo aluno, que há pouco ingressou no programa de bolsas ou que ainda vai ingressar.

No período de troca de beneficiário, conforme a universidade, as bolsas ficam de um a três meses sem atribuição. Luciane Leopoldo Belin terminou o mestrado em comunicação em 2016 e foi uma das quatro bolsistas selecionadas, no ano passado, para o doutorado. Com a decisão da Capes a jornalista viu a bolsa ser congelada.

Nilton Kleina foi outro selecionado para o doutorado em comunicação. Ele deixou o emprego com carteira assinada para ter direito a bolsa, que agora foi suspensa.

Dione Aguiar representa os estudantes da pós-graduação da UFPR e explica que há uma mobilização de todas as universidades federais do país para reverter a medida.

Os representantes das universidades também entregaram uma carta de repúdio a Associação Nacional de Pós-graduandos.

De acordo com a UFPR, os estudantes que já recebem bolsas de mestrado e doutorado não são afetados pela medida.

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPR disse que a demanda de bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado é “muito maior” do que o número de bolsas suspensas.

Ainda conforme a pró-reitoria, a universidade se mobiliza para que, além da devolução das bolsas suspensas, haja destinação de novas bolsas.

Mais de 470 projetos de pesquisa são desenvolvidos atualmente pela Universidade Federal do Paraná.

Justificativa

A Capes informou que o congelamento de bolsas ociosas representa apenas 1,75% do total de 200 mil benefícios destinados à pós-graduação e formação de professores da educação básica. Segundo a coordenação, foram congeladas 4.798 bolsas no país que não estavam sendo utilizadas no mês de abril. A medida é parte das ações da instituição para cumprir o contingenciamento na administração pública federal.

Repórter Lucian Pichetti