Foto: Dino Gebeluca

As polícias Científica e Civil fizeram nesta segunda-feira (1º) uma nova perícia no apartamento no bairro Água Verde, em Curitiba, onde aconteceu uma explosão no último sábado (29). O acidente deixou uma criança morta e três pessoas com ferimentos graves.

A suspeita é que o material usado para um serviço de impermeabilização de um sofá tenha causado a explosão.

A primeira perícia tinha sido feita no sábado, quando o inquérito para investigar o caso foi aberto. Diante da complexidade do acidente, policiais voltaram ao local para colher mais provas.

O delegado Adriano Chohfi, da Delegacia de Explosivos, Armas e Munições, disse que a investigação está apurando se o gás utilizado no apartamento poderia ter intensificado a ação do produto impermeabilizante.

Adriano Chohfi relatou à reportagem da Rádio CBN Curitiba que o cenário encontrado pelos investigadores foi assustador.

O delegado explicou que os próximos passos dependem dos laudos da perícia, que devem ser entregues em até 30 dias. Só após isso é que o inquérito poderá ser concluído.

O garoto, de 11 anos, morreu ao ser arremessado do sexto andar com a força da explosão. Além dele, ficaram feridos a irmã do menino, que teve 55% do corpo queimado; o cunhado, que teve 30% do corpo queimado; e o técnico que aplicava o material no sofá, com 65% do corpo queimado. Os três seguem internados.

Repórter Francielly Azevedo