Foto: Jaelson Lucas/SMCS

A Urbanização de Curitiba (Urbs) se manifestou, nesta quarta-feira (13), sobre o recurso do deputado estadual Goura e da vereadora Professora Josete contra o aumento da passagem. Os parlamentares entraram na Justiça nesta semana para reverter a decisão do presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, que suspendeu a liminar que adiava o reajuste da passagem de ônibus em Curitiba. Eles pedem a suspensão do aumento por tempo indeterminado até que seja julgada uma ação civil pública, proposta pelo Ministério Público do Paraná, para anular o contrato vigente do transporte público em Curitiba, em função de indícios de corrupção investigados na Operação Riquixá.

Desde o último dia 2 de março, a passagem passou de R$ 4,25 para R$ 4,50. 

Em entrevista à Rádio CBN Curitiba, o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, afirmou que a liminar não tem qualquer embasamento técnico e pode causar prejuízos ao sistema.

O presidente da Urbs explica que os prejuízos financeiros podem levar aos caos, com atrasos de salários dos profissionais do transporte.

Ogeny diz que a Prefeitura trata a tarifa como técnica, dependendo dos gastos no setor. 

E é a soma de tudo isso que resulta na tarifa do passageiro.

O novo valor, de R$ 4,50, que vigora desde o último dia 2, vale para os ônibus de Curitiba e para as linhas integradas da Região Metropolitana.

Repórter Francielly Azevedo