Foto: Francielly Azevedo
Terrazza Panorâmico

O conjunto de dispositivos foi instalado em estações-tubo da linha direta ligeirinho Centenário. Os testes são feitos nas estações Marechal Deodoro, Praça do Expedicionário, Jardim Botânico e Terminal Centenário. Fiscais da Urbs acompanham a operação de um ônibus que está sendo utilizado no projeto piloto.

A mudança consiste na retirada da rampa dos ônibus, além da instalação de sensores que fazem com que a porta da estação se abra apenas quando o veículo estaciona. Sinalizadores amarelos foram colocados no chão para garantir que o motorista efetue a manobra correta, sem deixar espaço entre o ônibus e a estação-tubo, como explica o diretor de Operações da Urbs, Aldemar Martins.

Martins conta que a iniciativa está em período de teste para que os motoristas se acostumem com a mudança.

Conforme Martins, a rampa é um dos equipamentos que mais gera custos de manutenção nos ônibus.

Em relação ao tempo de operação, o diretor destaca que a redução parece insignificante se contar apenas os 7 segundos, mas que se somado, isso também traz economia.

Segundo o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana, por dia, mais de quatro mil pessoas entram nos ônibus sem pagar. Os chamados fura-catracas causam um prejuízo de mais de R$ 6 milhões ao ano.

Com a mudança no embarque e desembarque, a Urbs também instalou um guarda-corpo vertical nas portas das estações-tubo, que funcionam como barreira para evitar a invasão dos fura-catraca. 

Além disso, a nova estrutura sem a rampa foi pensada para gerar acessibilidade aos portadores de dificuldades motoras.

O processo está em teste e só após comprovado a efetividade é que será aplicado nos demais veículos.

Repórter Francielly Azevedo